Independente das conquistas alcançadas pelas mulheres, nos últimos anos, nas questões relacionadas a independência financeiras e ao planejamento da aposentadoria, elas enfrentam desafios únicos, que devem ser urgentemente considerados.

Conforme estudos realizados pelo Instituto Nacional de Segurança na Aposentadoria, dos Estados Unidos, a probabilidade de mulheres com mais de 65 anos de idade empobrecerem é 80% superior, a dos homens com a mesma faixa etária e mulheres entre 75 e 79 anos possuem três vezes mais chances de estarem abaixo da linha de pobreza, comparada aos homens com a mesma idade.

Outra pesquisa relevante, custeada pela Prudencial, revelou que mulheres e homens esperam se aposentar até os 67 anos de idade, mas que mulheres economizam 43% menos e 50% delas, não tinham investimentos ou reservas destinadas para aposentadoria.

Confira aspectos exclusivos ao perfil das mulheres, que raramente são considerados nos planos de previdência disponíveis no mercado, embora sejam fatores determinantes no processo de investimento para aposentadoria.

Alguns desses aspectos podem gerar discordância, mas se um deles for reconhecido, já é razão para tratarmos a gestão de patrimônio das investidoras, de forma diferenciada.

1º. Mulheres Vivem Mais do que os Homens

Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), as mulheres geralmente vivem mais que os homens – em média de 6 a 10 anos. Essa diferença se deve em parte a uma vantagem biológica da mulher, mas também a diferenças comportamentais.

Por essa razão, os planos de previdência das mulheres devem se diferenciar pela longevidade, incluindo o benefício de uns anos a mais de vida e a renda necessária para este período.

2º. Mulheres Tendem a ser Mais Conservadoras

As pesquisas indicam que a maioria das investidoras desejam preservar o capital e protegê-lo da desvalorização monetária provocada pela inflação, mas não toleram variações negativas do investimento inicial e da rentabilidade acumulada, ao longo de todo o período de investimento.

Planos de aposentadoria, com perfil conservador, exigem atenção aos custos dos investimentos e diversificação adequada, entre títulos públicos e privados. Garantindo a reposição constantes das perdas causadas pela inflação, somado a um prêmio adicional.

3º. Mulheres Ainda Ganham Menos do que os Homens

Conforme a pesquisa realizada em 83 países, pela Organização Internacional do Trabalho, as mulheres ganham entre 15% e 30% a menos que os homens, consideradas as mesmas atribuições laborais.

Essa diferença pode se mostrar mais expressiva conforme a classe social ou etnia, mas alcança, invariavelmente, todas as mulheres no mundo e em todos as áreas de atuação.

Por esta razão, o esforço de acumulação financeira feito pelas mulheres deve ser mais valorizado e planejado, com aportes inferiores e constantes, que não comprometam a sua subsistência, e garantam a renda necessária para aposentadoria.

4º. Perfil Assistencialistas

As mulheres tendem a ser as cuidadoras, costumam dedicar mais tempo e recursos a assistência dos filhos, pais, parentes e até amigos.

Conforme pesquisa custeada pela MetLife Foundation, nos Estados Unidos, as mulheres são as principais cuidadoras em 61% das famílias analisadas, dedicando, em média, cerca de 12 anos de vida, ao desenvolvimento e assistência dos relacionamentos próximos.

Essa tendência costuma prejudicar os períodos de vida mais produtivos das mulheres, reduzindo o tempo dedicado ao trabalho, a acumulação patrimonial e ao planejamento financeiro.

5º. Mulheres Não Costumam Falar sobre Finanças e Investimentos

Muitas pessoas não gostam ou não se sentem à vontade de se expor, quando o assunto está relacionado a dinheiro, finanças ou investimentos. No caso das mulheres, essa limitação aparece de forma mais pronunciada.

De acordo com a pesquisa da Fidelity Investments, 80% das mulheres já se recusaram a falar sobre finanças com pessoas próximas, 65% das mulheres não gostam de falar sobre investimentos com seus parceiros, apenas 47% das mulheres se sentiriam à vontade conversando sobre dinheiro com um profissional financeiro, mais de 50% das mulheres com acesso a instituições financeiras, nunca consultaram seu assessor de investimentos.

A desconfiança com relação aos assessores de investimento e profissionais de finanças possui uma desculpa bastante plausível, eles costumam respeitar mais as suas próprias metas, do que o objetivo e o perfil dos seus clientes.

No entanto, um plano de aposentadoria bem-sucedido requer conhecimento, troca de informação e o apoio dos mais próximos, dado que a sua independência financeira na aposentadoria poderá favorecer o bem-estar de todos os familiares.

Prev Br

Os aspectos que diferenciam as mulheres dos homens nas questões ligadas a acumulação de recursos financeiros, especialmente destinados à aposentadoria, podem ser equacionados com informação e orientações independentes. Para saber mais sobre estratégias de investimento destinadas ao período da aposentadoria, adequadas as mulheres e ao perfil de risco, entre em contato com a Prev Br.

Fontes 

* Gender at Work: Emerging Messages – World Bank Group

* Caregiving in the United States – NAC and AARP

* Money Fit Women Study – Fidelity Investments

* Challenges to Women’s Financial Future – National Institute on Retirement Study

* Women lag men in retirement savings, Prudential study finds – Prudential Financial

* Women and Financial Planning – Retirement Research, Jessica Wunder

Share This