Os últimos 50 anos foram marcados por grandes mudanças sociais e econômicas, no entanto, a maneira como conceituamos e planejamos a aposentadoria continua igual.

Esta é a primeira vez que as massas estão se aposentando em meio a uma crise global dos sistemas públicos de previdência, em meio a altos níveis de endividamento, baixos níveis de poupança e um ambiente econômico onde a instabilidade é a regra.

Neste cenário, muitos continuam esperando do governo, do mercado financeiro e de algum êxito profissional, o amparo necessário para todo período da aposentadoria. Outros seguem definindo a aposentadoria, como o período em que se encerra qualquer atividade laboral ou esforço de acumulação financeira.

Essas ideias são inadequadas para a realidade atual, podendo acrescentar grande instabilidade a conjuntura social e econômica, no curto prazo.

Confira, a seguir, algumas regras que devem ser consideradas no planejamento das “novas aposentadorias”.

Planejar Vidas mais Longas e Saudáveis

A melhor notícia sobre a “nova aposentadoria” é que você provavelmente viverá mais do que seus pais.

No Brasil, a expectativa de vida ao nascer em 1960 era de 52,5 anos e ao nascer em 2016 passou para 75,8 anos – um acréscimo de 23,3 anos de vida, (IBGE).

Embora seja ótimo viver por mais tempo, a expectativa de vida expandida significa que você precisará de mais dinheiro para se aposentar e suas economias precisarão durar mais.

Tamanho aumento da longevidade fará com que se tenha de planejar diferentes fases da aposentadoria, cada uma com prioridades distintas.

Otimizar Todos os Recursos

A instabilidade econômica e a nova estrutura do mercado de trabalho farão com que a maioria, não consiga acumular recursos financeiros suficientes para aposentadoria.

Isso não significa que as pessoas não poderão mais se aposentar ou que não devam planejar a aposentadoria. Mas será preciso otimizar todos os sistemas e recursos associados a aposentadoria.

O sustento da “nova aposentadoria” virá de um conjunto de decisões estratégicas, como por exemplo:

  • Atrasar a solicitação da Previdência Social.
  • Trabalhar durante a Aposentadoria.
  • Envolver os familiares na geração de recursos para Aposentadoria.
  • Promover revisões periódicas do Custo de Vida.
  • Mudança da Localização e da Estrutura Residencial.

Garantir uma Renda Vitalícia e Reduzir os Riscos

A “nova aposentadoria” é uma estratégia de acumulação de recursos financeiros, principalmente voltada a prevenção do risco de desvalorização causada pela inflação, pela instabilidade do mercado financeiro e por crises causadas por eventos inesperados.

Incluir um produto financeiro, idealmente ajustado a inflação, que garanta uma renda vitalícia pode reduzir de forma significativa os riscos de manutenção da aposentadoria e subsidiar parte do padrão de vida desejado.

Utilização da Casa Própria na Aposentadoria

Com a apreciação das propriedades imobiliárias nas últimas décadas, a casa própria representa a maior riqueza para muitas famílias. Este patrimônio pode – em alguns casos – compensar a falta de recursos para aposentadoria.

Venda, sublocação ou locação do imóvel próprio em troca de uma estratégia de renda para sua aposentadoria pode ser feita, dentro de um planejamento que considere o longo prazo e a possibilidade de mudanças constantes de moradia, inclusive na velhice.

Estratégias de Renda que Atendem a Várias Gerações

Com o aumento da longevidade várias gerações estão vivendo e interagindo umas com as outras. Os aposentados de hoje, muitas vezes, se veem responsáveis pelos cuidados com os pais e netos.

Isso é uma grande fonte de preocupação para as famílias atuais e um elemento que dificulta profundamente, o processo de acumulação e financiamento da aposentadoria.

Por mais complexo que possa parecer um plano de aposentadoria deve considerar a possibilidade de que, membros mais velhos ou mais jovens da família, se mantenham dependentes de parte da sua renda na aposentadoria.

Acesso a Informação e a Tecnologia

Nunca o acesso a informação e as tecnologias inteligentes esteve tão disponível.

Antes de iniciar um Plano de Aposentadoria ou comprar qualquer ativo destinado à sua aposentadoria, leia e pesquise sobre o assunto, tire suas dúvidas, verifique as tendências (no Brasil e no Exterior) e tome o tempo necessário para formar uma opinião própria.

Caso contrário, você ficará exposto as recomendações de profissionais contratados para atingir a lucratividade esperada pela instituição financeira onde trabalham, ou baseado nas pregações entoadas por educadores financeiros, limitadas e desconectadas com a sua realidade.

Além da informação, já estão disponíveis no Brasil algumas tecnologias de qualidade – como calculadoras de aposentadoria e consultores robô, que podem simular diversos cenários para sua aposentadoria, oferecendo sugestões iniciais sobre o quanto e onde investir seus recursos financeiros.

Share This